sábado, 19 de junho de 2010

Heróis Desconhecidos - Aprendendo sobre o alcance da oração


Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele (Atos 12:5).

No cristianismo já tivemos, e ainda temos grandes pastores e pregadores, pessoas de Deus que influenciam toda uma geração e levam milhões de pessoa a Cristo. Porém, há em maior número, pessoas desconhecidas das massas que mantém o ministério de tais homens e a vida de muitas igrejas. São pessoas anônimas que sustentam a igreja em oração.
Assim, veremos, tendo como base o capítulo 12 de Atos dos Apóstolos, O ALCANCE DA ORAÇÃO

      I.        A ORAÇÃO ALCANÇA AQUELES PELOS QUAIS ORAMOS (Atos 12:1-11).

Geralmente as pessoas pelas quais oramos, não sabem, ou não percebem que os livramentos recebidos foram motivados pela ação de Deus por meio de nossas orações.

a)    O texto que lemos descreve a morte do apóstolo Tiago e a prisão de Pedro, que esperava ter o mesmo fim do amigo. Algo tornava essa situação diferente: Mas, havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele (v.5).
b)    A situação dele era impossível aos homens: dormia entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias e sentinelas à porta guardava o cárcere (v.6).
c)    Sabemos que Pedro foi um grande homem de Deus, porém, sua situação de preso, nos serve para ilustrar a vida de muitas pessoas pelas quais oramos e estão perto de terem um fim trágico.
d)    Mas, quando Deus age ele muda a situação, veja o verso 7 e 8, o que Deus fez, por meio de um anjo, a Pedro: ...as cadeias caíram-lhe das mãos, o senhor o cingiu, calçou seus pés, vestiu-lhe uma capa e Pedro o seguiu.
e)    Muitas vezes, as pessoas não percebem, assim com Pedro não percebeu na hora, que Deus está lhes livrando, lhes guardando, precisam cair em si, como Pedro: ...Caindo em si, disse: agora, sei, verdadeiramente, que o senhor enviou seu anjo e me livrou... (v.11).
f)     Por fim, após perceber a situação e ter caído em si, ele foi até a congregação. Eu creio que Deus fará isso na vida de muitos pelos quais oramos.


    II.        A ORAÇÃO ALCANÇA AQUELES QUE ORAM (v. 12-17).

Quando oramos com a alma por alguém, ainda que não percebamos, ou não estejamos sentindo, Deus está agindo. De igual forma, nossas vidas são abençoadas, mesmo quando oramos por outra pessoa.

a)    Não existe acepção de pessoas para as repostas de oração. A primeira pessoa a perceber que Deus havia atendido o clamor foi uma criada, chamada Rode (v.13).
b)    O Deus que nos surpreende: A igreja havia orado muito por Pedro, mas não estava deixando Pedro entrar na casa (v.16). De igual forma, em alguns momentos, oramos por pessoas, mas quando elas dão um sinal de mudança nós não acreditamos nelas.
c)    O interessante é que as pessoas oraram por Pedro, apenas para ele ser liberto; porém, Pedro veio ao encontro delas. Elas foram atingidas diretamente por suas orações. Assim, também quando oramos por algo ou alguém devemos nos preparar a receber e agir.
d)    O dever de testemunhar: após verem conversar com a congregação, Pedro pediu que os irmãos relatassem o ocorrido aos demais irmãos, que não estavam ali orando, mas que faziam parte da fé (v.17). Precisamos testemunhar as bênçãos alcançadas para que tenhamos força para continuarmos orando por outros desafios.


   III.        A ORAÇÃO ATINGE AS PORTAS DO INFERNO (v. 20-25).

a)    Herodes estava sendo um grande desafio para a igreja, não apenas havia matado a Tiago e tentado matar a Pedro, ele se julgava um Deus.
b)    Por estando usando uma roupa brilhante e falar em um local de grande eco. As pessoas o louvaram como um Deus, ele gostou do louvor e assim, adoeceu e morreu naquele mesmo lugar.
c)    A doença de Herodes: ele após não render a devida glória a Deus, morreu comido de bichos. Todos que se levantam contra o Reino de Deus caem.
d)    Após a morte de Herodes, a Bíblia diz: entretanto, a palavra do Senhor crescia e se multiplicava (v.24). Todo esse desenrolar foi conseqüência das orações da igreja.
e)    Não é a toa que a primeira viagem missionária aconteceu após esse evento (Atos 13). Ela também foi conseqüência dessa oração, o evangelho se espalhou por todo o mundo e aqui estamos nós hoje.



Considerações finais

Nós não temos a dimensão exata do alcance de nossas orações dirigidas a Deus, mas, possamos ter uma certeza, ela vai muito além do que imaginamos e sentimos, podemos estar em um lugar físico, reunidos, mas a oração não está presa entre quatro paredes. Em Daniel 10:10-14, temos a descrição da oração desse profeta, ele havia orado e Deus já estava agindo, porém, ele ainda não havia percebido tal ação. De igual forma, não devemos nos esquecer que a igreja caminha por meio da oração de muitos irmãos que, muitas vezes, não aparecem em público, são heróis desconhecidos que trabalham nos bastidores e mas, são essenciais a obra de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário