segunda-feira, 14 de setembro de 2009

A VOCAÇÃO DE LEVI - Aprendendo a valorizar as pessoas

Texto: Lucas 5:27-32



INTRODUÇÃO



As pessoas que Jesus escolheu para compor Seu ministério, não foram o tipo de que talvez nós escolheríamos para estar ao nosso lado. Um exemplo claro dessa afirmação é o chamado de Levi, ou Mateus. Tal método de Jesus deve ser comparado com nossa forma atual de lidarmos com as pessoas, sempre privilegiando as que têm mais destaque social. Nessa história Jesus nos ensina com lidar com as pessoas na igreja.


I- MANTENHA O FOCO NAS PESSOAS.



a) “Passadas essas coisas” (Lc. 5:27): Esse trecho faz referência a uma outra situação vivida por Jesus, um pouco antes. O verso 26 diz: “davam glória a Deus e, possuídos de temor, diziam: Hoje vimos prodígios”. As pessoas se referiam a um milagre feito por Jesus. E ele, abriu mão dessa glória humana, deixou-a para trás; com o objetivo de olhar para um Homem, Mateus, Publicano, escória da sociedade da época.

b) Deus com toda Sua glória e majestade nos vê e atenta para nós, com o intuito de nos ajudar e mudar nossa vida.

c) Mateus e Levi: Brennan Manning comenta sobre essa duplicidade de nomes: “... É interessante notar que quando os evangelistas Marcos, Lucas e João mencionam os apóstolos, eles chamam o autor do primeiro evangelho de Levi ou de Mateus. Mas em seu próprio Evangelho ele sempre refere-se a si mesmo como ‘Mateus, o publicano’, sem querer jamais esquecer quem foi e sempre tentando lembrar quão baixo Jesus desceu para recolhê-lo” (MANNING 2005:143).







II- CHAMANDO PARA UMA NOVA VIDA



a) Segue-me!: Mateus era um homem que aparentemente havia se encontrado na vida, pois, tinha um bom emprego, uma casa que acomodava muitas pessoas. Mas, ele estava sem rumo, sem razão de viver. Jesus o chamou para uma vida com propósitos mais elevados.

b) Todos podem se arrepender: Essa história confirma uma verdade Bíblica – Todos podem mudar, se deixar Cristo assumir o controle todos podem ser diferente. Mateus era considerado um ladrão, por explorar o povo, mas houve solução para sua vida.

c) Oferecendo algo a Jesus: Mateus por ser rico ofereceu um banquete. Mas, todos podem oferecer algo como forma de gratidão ao Senhor, e uma boa maneira, é convidar as demais pessoas, que assim como nós são pecadoras, a terem um encontro com o Mestre. Foi o que Mateus fez, a Bíblia diz: “...estes eram em grande número e também o seguiam” (Marcos 2:15), “Muitos publicanos e pecadores vieram e tomaram lugares com Jesus e seus discípulos” (Mateus 9:10).



III- UM MINISTÉRIO GUIADO POR DEUS.


a) Por que comeis e bebeis com os publicanos e pecadores? Os fariseus com essa pergunta demonstraram interesse em dominar o ministério de Jesus, desejaram dizer o que ele deveria ou não fazer. Mas, Cristo como tinha claramente ordens daquele que o enviou, não cedeu.

b) Hoje, não é diferente, mesmo não se preocupando com a igreja, o mundo quer ditar qual é o papel dela na terra, mas não podemos ceder. Temos uma missão dada pelo Senhor Jesus e temos que cumpri-la cabalmente (Mateus 28:18-20).

c) Devemos levar em conta o que Jesus disse aos Fariseus em Mateus 9:13: “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos”.

d) A igreja é lugar de doentes e de cura (vs.31 e 32): Quantas vezes expulsamos da igreja, mesmo que indiretamente, pessoas que estão doentes e procurando por cura? Se elas não encontrarem cura na igreja (em Cristo) não encontrarão em nenhum outro lugar (pessoa). Reconheço que a igreja (termo repetido para a devida ênfase) é um lugar complicado, isso se dar por que nela temos muitas pessoas doentes e outras ainda em tratamento, todavia, a cura encontra se nela.







CONCIDERAÇÕES FINAIS


No livro O Hobbit de J. R. R. Tolkien há um momento onde o Hobbit e seus companheiros de viagem são advertidos: “Direto pela floresta é o seu caminho agora. Não saiam da trilha! Se fizerem isso, têm uma chance em mil de encontrá-la de novo e de sair da Floresta das Travas” (TOLKIEN 2005:135).

Deus nos faz essa mesma advertência. Quantas vezes, por nos sentirmos doentes e pecadores demais, achamos que a única solução para o problema é abandonar a igreja, mas nos a Palavra nos diz: “Os são não precisam de médicos, e sim os doentes”, assim, você está no lugar certo, apenas – Não saia da Trilha!





REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS



MANNING, Brennan. O Evangelho Maltrapilho. São Paulo: Editora Textos, 2005.

TOLKIEN, J. R. R. O Hobbit. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

2 comentários: